Projeto familiar


Hoje vamos falar sobre um assunto muito importante, porém pouco ensinado em casa ou na escola: planejamento familiar e sua relação aos direitos das mulheres à saúde de qualidade. Você deve estar se perguntando o que uma coisa tem a ver com a outra. Eu diria: tudo! Nos países em desenvolvimento, nos quais o Brasil se inclui, 1 em cada 3 meninas estão casadas até os 18 anos. Isso significa jovens mulheres formando famílias e tendo filhos antes mesmo de ter chegado à sua idade produtiva, isto é, de conseguir gerar renda.

Este dado, divulgado pela UNFPA – Fundo das Populações das Nações Unidas, nos traz alguns problemas: mulheres dependentes financeiramente de seus parceiros e sujeitas à violência, mulheres com baixo nível de educação e, principalmente, alto índice de mortalidade materna e infantil entre essas mulheres. Aí vem a relação com o direito à saúde de qualidade. Mulheres sem educação e sem renda dependem de saúde pública, que em sua maioria nos países em desenvolvimento são de baixa qualidade. No mundo, 800 meninas e mulheres morrem por dia devido a gestações que poderiam ter sido evitadas ou por complicações no parto. Veja, normalmente gravidez abaixo dos 25 anos é considerada de risco, com serviço de saúde precário e sem acompanhamento médico, o risco é ainda maior. Por isso esses números altos.

Voltamos ao planejamento familiar. Ainda segundo o estudo da UNFPA, 225 milhões de jovens mulheres necessitam de planejamento familiar moderno, isto é, ter a possibilidade de realizar e exercitar seus direitos de saúde sexual e reprodutivo e avançar em todo o seu potencial social. Mas o que isso quer dizer? Acesso à educação sexual e consequente acompanhamento médico de prevenção de gravidez na adolescência e infância, bem como prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Dar a oportunidade de educação e chance de desenvolver seu potencial ao máximo, se tornando uma pessoa produtiva, que gera renda e se desenvolve profissionalmente. Isso representa mulheres com melhores previsões de futuro, participativas na vida familiar e independentes para planejar seu futuro, de seu casamento e de seus filhos.

Mulheres mais educadas e saudáveis produzem gerações mais prósperas e transformam sociedades. Planeje sua vida familiar e de suas filhas. Saúde e educação para um país com gerações mais prósperas e felizes.

Maria Leticia Fagundes



  By - Maria Letícia Fagundes      29/05/2017
 VOLTAR