Estupro e o despreparo social

Na última semana veio à luz uma terrível realidade brasileira: o estupro e o reflexo disso na sociedade. Acredito que todas acompanharam um pouco das discussões que aconteceram nas redes sociais e foram divulgadas na mídia. O que mais me impressiona e revolta é a culpabilização da vítima e o despreparo que as pessoas ainda têm em lidar com a situação. Explico. Frente à ONG MaisMarias que criei em 2012 para combater a violência contra a mulher, procuramos dar orientações para que esses mitos acabem. O que mais vemos é a mulher ter vergonha de falar sobre o assunto porque se sente culpada pelo que aconteceu. Errado! A vítima nunca é culpada e sim SEMPRE o agressor.

Então, se você foi vítima de abuso sexual, saiba que não teve culpa. Estar bêbada, usar decote ou roupa colada, não são motivos para ninguém abusar de você. Culpar a vítima é uma forma de calar a nossa voz e o agressor não ser punido. Por este motivo nós da MaisMarias trabalhamos para que as mulheres se encorajem e denunciem cada vez mais seus agressores e seus estupradores. Se informar sobre seus direitos, faz com que você tenha mais coragem e veja que a lei está do seu lado. Porém ainda é um trabalho em construção e deve partir de todas nós acabar com a “cultura do estupro” que tanto se ouviu falar estes dias.

A “cultura do estupro”, em outras palavras é a perpetuação do pensamento machista tão enraizado na nossa sociedade desde a colonização brasileira. É uma maneira de pensar que foi incutida na cabeça das pessoas há muitos anos e mudar isso não é fácil, mas temos que começar de alguma maneira, não é? Veja que é tão complicado que até o delegado do caso da garota que sofreu o estupro coletivo no Rio de Janeiro foi afastado por conduzir mal a situação, insinuando que ela teria culpa. Mas você me pergunta como mudar isso, e eu respondo: em pequenas ações no seu dia a dia. Ensine seu filho a respeitar as mulheres e que o sexo é um ato de prazer entre duas pessoas, e não que um ganha e outro perde; corrija e reprima amigos e parentes que fazem brincadeiras de mal gosto com mulheres ou falam que fulana é vagabunda, a mulher é dona do seu corpo e faz dele o que bem entender; nunca permita que alguém culpe uma vítima de estupro, sexo sem consentimento é crime.

Lembre que se você culpa uma mulher hoje, amanhã pode ser você sua mãe, sua filha, sua irmã ou sua amiga a vítima! Temos todas que nos proteger!

Para saber mais mande um email para faleconosco@marialeticiafagundes.com.br

Maria Leticia Fagundes



  By - Maria Letícia Fagundes      29/05/2017
 VOLTAR