Absorvente interno

Que é prático e mais higiênico, nós sabemos que o absorvente interno é. Porém, para que o uso dele não se torne um problema para sua saúde, é muito importante se atentar ao tempo de uso e frequência de troca. Muitos fabricantes indicam em suas embalagens que o tempo máximo de permanência com o absorvente interno é de oito horas. Eu já prefiro orientar a troca a cada quatro horas. Isso porque a permanência do sangue dentro do canal vaginal é o ambiente perfeito para a proliferação de bactérias.

Longas horas de uso do absorvente pode provocar infecções. Coceiras, mau cheiro e corrimento estão entre as consequências do uso incorreto. Outra situação mais grave, porém também mais rara, é a Síndrome do Choque Tóxico (SCT). Este problema acontece devido à proliferação em grande número da bactéria Staphylococcus Aureus, que libera toxinas em excesso e causam o SCT, podendo em alguns casos até levar à morte. Os sintomas são muito semelhantes a um resfriado: febre alta repentina, vômito, diarreia, tonturas, irritação na pele, entre outros. É importante detectar logo, pois a infecção evolui de forma muito rápida. Neste caso, vá ao hospital mais próximo de você, o tratamento é simples e tem cura.

Então, muito cuidado e atenção com a frequência de troca dos seus absorventes internos. Também é recomendável fazer uma higiene com a duchinha de água a cada troca para limpar o sangue acumulado. É uma questão de saúde!

Maria Leticia Fagundes



  By - Maria Letícia Fagundes      29/05/2017
 VOLTAR