Exposição ao HPV

O HPV (papilomavírus humano) é um dos assuntos mais recorrentes da nossa coluna, justamente por ser doença sexualmente transmissível muito perigosa e a principal causador do câncer do colo uterino. Na última semana foi divulgado novo dado: meninas podem estar infectadas pelo HPV antes mesmo da primeira relação sexual. A conclusão vem de três estudos que apontam a prevalência do vírus entre 10% e 45% em meninas que nunca tiveram relações sexuais, mas relataram a troca de carícias íntimas.

 

O último deles, publicado em março no periódico Journal of Infectious Diseases avaliou 387 adolescentes de 14 a 17 anos. Dessas, 22 eram virgens e também não tinham sido vacinadas contra o HPV. Testes de PCR (que identifica o material genético do vírus) detectaram em 10 delas ao menos um tipo de HPV na região vaginal.

 

Ou seja, os estudos comprovaram que o HPV pode ser transmitido sem penetração vaginal. O simples atrito da mão, boca ou genitais com a mucosa infectada já são suficientes para contaminação pelo vírus.

 

Portanto, vale lembrar mais uma vez a importância da vacina contra HPV nas meninas, antes mesmo de iniciarem sua vida sexual. Há duas vacinas comercializadas no Brasil, uma delas é quadrivalente, ou seja, previne contra os tipos 16 e 18 presentes em 70% dos casos de câncer de colo de útero e contra os tipos 6 e 11 presentes em 90% dos casos de verrugas genitais.

 

Os homens também devem se vacinar, já que o vírus também está relacionado às doenças que acometem o público masculino, como as verrugas genitais, câncer de ânus, câncer de laringe e câncer de pênis.

 



  By - Maria Letícia Fagundes      29/04/2015
 VOLTAR