Mitos e verdades sobre absorventes

Depois da menarca, toda mulher precisa se acostumar com o uso mensal de absorvente, seja interno ou comum. No entanto, alguns cuidados são essenciais para manter a higiene e evitar infecções. Para sanar de vez as dúvidas mais comuns sobre esses assuntos, vamos esclarecer alguns mitos. 

 

É arriscado dormir com o absorvente interno - Não existe contraindicação para o uso de absorvente interno durante o sono. O ideal é que trocado no máximo a cada 6 horas, dependendo do fluxo. E deve ser trocado logo ao levantar.

 

Absorvente diário pode ser usado frequentemente - São mais fininhos e indicados para quem quer se sentir mais sequinha no dia-a-dia, porém, não devem ser usados sempre, pois a região fica mais úmida e propensa a infecções.

 

O absorvente íntimo pode “se perder” internamente - A vagina tem uma única abertura e o absorvente é colocado na parte superior, portanto não há como extraviar ou se perder. Porém, se a mulher esquecer de retirar o absorvente interno e colocar outro ao mesmo tempo ou tiver relação sexual com absorvente, pode ficar retido perto do colo do útero, dificultando sua retirada. Se a mulher não conseguir retirar o absorvente deve procurar seu ginecologista o mais rápido possível, para evitar infecções. 

 

Versões com aroma são mais indicadas - Para minimizar o odor desagradável da menstruação foram criados absorventes com aromas de flores ou ervas. No entanto, podem ser mais propensos a causar irritação alérgica do que a versão sem aroma.

 

O absorvente interno é anti-higiênico - É feito com o mesmo material do absorvente externo (algodão), só que sem a camada de gel.



  By - Maria Letícia Fagundes      29/04/2015
 VOLTAR